sábado, 8 de setembro de 2012

ESTE GOVERNO É UMA VERGONHA


ESTE GOVERNO
É UMA VERGONHA
NÃO FIQUES INDIFERENTE
REVOLTA-TE E PARTILHA ESTA MENSAGEM

Em horário nobre e antes do Portugal-Luxemburgo, o Senhor Primeiro Ministro, utilizou os Órgãos da Comunicação Social à maneira de Marcelo Caetano, para transmitir ao Portugueses as novas medidas de austeridade. Estas novas medidas alimentarão uma radicalização da vida política e social do país.
As medidas anunciadas contribuem para uma maior discriminação social, contribuindo para que os pobres sejam cada vez mais pobres e os ricos cada vez mais ricos. Os trabalhadores vêm aumentados os seus descontos de 11% para 18% e as entidades patronais reduzem de 23,75% para os 18%, invocando que esta descida irá contribuir para a criação de emprego, o que é uma pura demagogia porque os salários são diminuídos em 7%.
Os Subsídios de Férias e de Natal dos funcionários públicos no ativo vão sofrer um corte equivalente a um subsídio, enquanto os pensionistas e reformados perderam-lhes o direito, o que é uma pura discriminação, esquecendo-se o Sr. Passos que existem direitos adquiridos que não podem ser usurpados, direi mais roubados! Onde está a equidade tão apregoada?
Estes subsídios foram regulamentados pelo DEc-Lei nº. 496/80, de 20 de Outubro e o seu artº. 17º. Determina: “Os subsídios de férias e de natal são inalienáveis e impenhoráveis”. Qualquer leigo em matéria legislativa não precisa saber muito português para compreender o significado e a abrangência deste artigo. Os Dec-Leis são produzidos pelo Governo e as Leis pela Assembleia da República, todavia, ambos têm que ser objeto de apreciação por parte do Senhor Presidente da República, quer procedentes do Governo, quer da Assembleia da República e do Tribunal Constitucional quando das partes requer a sua inconstitucionalidade, o mais Alto Magistrado da Nação apreciará e decidirá em conformidade.
A oposição e também alguns elementos da coligação PSD/CDS/PP afirmaram que duvidam que a descida da taxa social única crie a prazo mais emprego e temem que o aumento da carga fiscal sobre o trabalho tenha um péssimo impacto nas receitas, tal como já está a acontecer este ano. Nas decisões tomadas pelo primeiro-ministro não há uma única medida ou iniciativa, nem sequer do ponto de vista simbólico para penalizar quem tem mais altos rendimentos ou quem detém capital.
Estas medidas têm como consequência “uma polarização da vida política e uma agudização das tensões sociais”.
Termino, e para que retirem as necessárias ilações, deixo-vos a Declaração produzida por Passos Coelho em 12 de Março de 2011, quando chumbou o PEC IV “Não há desculpas ou álibis: se estas medidas adicionais são necessárias é porque o Governo não soube ou não quis fazer aquilo que lhe compete” O líder do PSD disse ainda: “que, com estas medidas, o Governo está a denunciar o acordo que permitiu a viabilização do O.E. para 2011”.
Passos Coelho acrescentou ainda: “PSD será sempre parte de uma solução, mas não de qualquer solução. Porque o caminho que precisamos de seguir será seguramente difícil mas terá de ser justo. O PSD tomou a decisão, cabe agora ao Governo fazer a sua escolha”.
Perante esta tomada de posição, julgo que o Partido Socialista como maior Partido da oposição deveria pagar-se da mesma moeda, retirando-lhes o tapete.
Francisco Assis questionado por um jornalista da Agência Lusa, numa reação às medidas de austeridade anunciadas, disse: “Se o Governo tinha alguma preocupação em criar condições mínimas para que o PS se abstivesse na votação do Orçamento de Estado para 2013, penso que Passos Coelho deitou agora tudo a perder”.
Ao ataque que Passos Coelho nos está movendo, resta-nos expressar o nosso mais veemente descontentamento e se necessário for, demonstrá-lo pelas formas que a CRP permite.
Campo Maior, 8 de Setembro de 2012

5 comentários:

Anónimo disse...

Estes autarcas têm vergonha ?

Estão a derrubar todas as árvores no campo de futebol em Degolados…
Abaixo a cultura, e o ambiente. Viva o crime …


Anónimo disse...

Sou um leitor regular das suas cronicas,aprecio a forma acutilante objetica e critica que norteam a maioria dos seus artigos. Num entanto nos ultimos dois anos, na analise ao desempenho do executivo, é notoria a forma cuidada da sua linguagem escrita, procurando não opinar como é seu tibre concerteza por respeito ao atual executivo, mas e fudamentalmente ao seu mentor, por receio talvez. Senão vejamos o exemplo do anonimo das 8h55 , Estes autarcas têm vergonha. O que esta aqui em causa para alem do derrube das arvores é a construção de um sintético em Degolados. Desde a sua genese a UFD nos seus 84 anos, nunca teve e não tem tradição futebolistica, com apenas cinco presenças nos campeonatos Distritais. Na atualidade em Degolados nenhuma Associação pratica a modalidade. Será, em época de crise, uma forma correta de gerir o dinheiro publico? Será esta infra estrutura um dos anseios dos Degoladenses? Como consegue este executivo hierarquizar prioridades, se atua por satisfação de caprichos e desvaneios politicos!. Que utilidade, justificação e rentabilização será dada ao investimento.Creio que muitas das promessas feitas estão hoje mergulhadas num bau muito fundo, de onde dificilmente sairão, algumas das poucas iniciativas e promessas realizadas são mais que queationáveis mas quase vetedas á discussão publica.

siripipi alentejano disse...

Ao Anómimo das 22H17 de ontem agradeço-lhe a sua análise, contudo, permita-me que lhe diga que não sou pessoa de ter medo ou de não escrever por causa do mentor que refere. Vivemos num país livre e democrático que me permite usar esse direito sem medo do que escrevo, sempre assumi essa responsabilidade. Em relação ao atual Executivo ainda não houve matéria suficiente que me levassem a escrever, mas já o fiz e pode consultar o arquivo do meu Blogue e aí encontrará alguns posts deste
Mandato (Piscina, Insegurança, Politica Cultural, Balanços do 1º ano de Mandato, etc.) A verdade é que este Executivo, felismente, ainda não cometeu erros tão graves como o anterior. O assunto que refere vai ser objecto da minha análise e se as explicações que me forem dadas não forem aceitáveis pode ter a certeza que vou escrever. Para terminar leia um post que publiquei em 8 de Agosto de 2008 intitulado "Abatidas Arvores na Avª da Liberdade" e em 19 de Agosto do mesmo ano "Divagar-As Árvores Morrem de Pé".Cumprimentos
Siripipi-alentejano

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.