sexta-feira, 15 de outubro de 2010

A PISCINA DA FONTE NOVA TORNOU-SE NUM ELEFANTE BRANCO

Ontem começou a chegar às nossas casas a edição de Outubro do “Jornal de Campo Maior, propriedade do nosso Município, informando sobre as iniciativas encetadas ou em execução. È um assunto que irá ser objecto dum posts que vou dedicar ao 1º ano do Mandato do actual Executivo, efeméride que se comemora no próximo dia 28 de Outubro e que eu saiba não vai ter Jantar de aniversário e apoio.
Da leitura que fiz deste Jornal não encontrei qualquer informação sobre o que se está passando com a Piscina da Fonte Nova, inaugurada em 28 de Junho de 2009, o que lamento por se tratar de um equipamento importantíssimo, encerrado há quase dezoito meses, mas que dia-a-dia tem custos de amortização de capital e juros, de manutenção e despesas com o Pessoal que lhe está afecto. Esses custos terão que ser suportados, em minha opinião, pela Campiscinas S.A. propriedade do equipamento, proporcionalmente, pela MGR (51%) e Empresa Municipal Campomayor XXI (49%).
Na realidade, a maioria das Empresas Municipais estão descapitalizadas, não têm receitas suficientes para cobrir as despesas, a Campomayor XXI está nessas condições e neste caso tem que ser o Município de Campo Maior a suportar todos os custos e olhem que não são assim tão poucos!
Os Campomaiorenses têm o direito de saber o que se está passando, porque é que ainda não nos explicaram a verdade desse tão ruinoso negócio?
É bom lembrar-vos que no ano de 2007, a Câmara deliberou por maioria, aprovar a minuta da carta de conforto para a concessão pela CGD, de um empréstimo de 4.250.000,00 € à Campiscinas S.A. para financiamento das Piscinas e infra-estruturas necessárias. A Campiscinas adjudicou, sem concurso ou visto do Tribunal de Contas, pelo valor de 3.450.000,00€, à MGR-Engenharia e Construções a construção daquele empreendimento. Qual a contra partida que esta firma teve no negócio?.. Terá capitalizado lucros no orçamento da obra? É que este orçamento foi unicamente verificado pela adjudicatária que detém 51% do capital da Campiscinas SA.
Perante este factos, o novo Executivo determinou a adjudicação a uma Empresa da especialidade, a realização de uma auditoria pelo prazo de 45 dias. A Câmara Municipal na posse do Relatório da Auditoria determinou ao seu Consultor Jurídico que procedesse à sua análise, elaborando o seu parecer, o que foi feito e presente na reunião de 21 de Abril (acta nº 9).
A Câmara, face ao referido parecer, deliberou por maioria: “1 – O apuramento de responsabilidades por eventuais ilegalidades quer na constituição da Empresa Municipal Campomayor XXI, quer na contratação da citada parceria público privada; 2 – Proceder à elaboração de comunicações e participações que se mostrem necessárias para o efeito, nomeadamente para a Procuradoria-geral da República, Tribunal de Contas, Inspecção Geral de Finanças e Inspecção Geral do Território”.
Na reunião de 5 de Maio (Acta nº 10) o Jurista da Câmara a pedido do Presidente esclareceu o Executivo sobre factualidade que revestiu a constituição daquela Empresa Municipal, bem como da contratação da parceria público privada para participar na constituição da Campiscinas. O Jurista adiantou que dos documentos preparatóriosdisponibilizados pela Auditora, permite adiantar a existência de indícios de irregularidades graves susceptíveis de integrar infracções criminais, igualmente adiantou haverá possibilidade de existirem irregularidades graves na contratação com o parceiro privado (MRG).
Os factos são evidentes, as Piscinas continuam encerradas e o ZÉ Pagante que somos nós - continuamos impávido e serenos esperando uma explicação plausível.
Antes de lhes formular que comentem construtivamente e sem ofensas este tema, adiantar-vos-ei que o Vereador Hermenegildo Rodrigues na reunião de 21 de Julho questionou o Senhor Presidente sobre se tinha havido uma reunião em Coimbra e qual o resultado da mesma, referente à Campomayor XXI? O Senhor Presidente esclareceu que a reunião não se tinha realizado em Coimbra, por impedimento do Engenheiro representante da MGR, tendo-se realizado uma semana depois em Campo Maior. O nosso Edil esclareceu ainda que nessa reunião foi empossado o novo Conselho de Administração da Campiscinas S.A.
Com todos estes imbróglios a Piscina vai tardar em abrir, resta a consolação que alguém, não o Povo a possa desde já utilizar, para a maioria dos Campomaiorenses e de quem ali passa, este equipamento deixou de ser uma Piscina e passou pelos factos referidos, a ser UM ELEFANTE BRANCO.
Siripipi-alentejano

6 comentários:

Zé de Melro disse...

Se bem percebi e se há pessoal e a água está a ser aquecida, deixar entrar o público não acresce custos...

Anónimo disse...

Está tudo caladinho à espera que caia uma migalha... As pessoas de Campo Maior e sobretudo os seus jovens merecem ter acesso a melhores serviços e uma melhor qualidade de vida. Mas este buraco, perdão, piscina será que não produz fatalmente o efeito contrário ao absorver nas contas municipais, como se de um buraco negro das finanças se tratasse? Se ocupa uma grande parte do orçamento do município poderá faltar noutros lados talvez mais proveitosos... Não terá sido a construção deste empreendimento motivada mais por uma manobra de charme caça votos do que um real serviço público aos munícipes? Ficam por aqui as questões retóricas... que podiam ser muitas mais...

Anónimo disse...

Aqui estamos novamente com o assunto das piscinas.
O que me parece é que não há vontade deste executivo abrir as piscinas porque se trata de uma obra do outro executivo.
Se não vejamos quando da construção das piscinas e da criação das empresas municipais o Francisco Fonenga reclamava da forma como as coisas estavam a ser tratadas daí que o actual executivo quando se candidatou tinha bem consciência do que iria apanhar por tanto não é surpresa nenhuma para os valores em causa e da divida que a Câmara aceitou.
O que não se compreende é porque as piscinas com os custos a serem suportados pela autarquia não abrem ao público ou será que haverá outras intenções então digam.
Porque me parece de uma irresponsabolidade total tudo o que está a acontecer.

Anónimo disse...

Gosto de ver o Siripipi com um texto que é um tema quente. Houve quem me dissessem que teria havido pressões para fechar o blogue

siripipi alentejano disse...

Caro Anónimo das 20H05
Ao longo da minha vida sempre escrevi com liberdade e por esse facto tive alguns dissabores. Antes do 25 de Abril eu estava em Angola e colaborava como locutor na Voz do Zaire, um dia destinaram-me acompanhar o Governador do Zaire cor. Carlos Santos numa visita pelo Distrito e nas minhas intervenções de reporter descrevi tudo o que constatei com a maior das verdades, infelizmente, as minhas verdades não eram as deles, no dia seguinte quando cheguei a São Salvador tinha uma guia de marcha colocando-me no Luvo, fronteira com a República do Zaire, zona de guerra. Foi a recompensa pelo meu trabalho, apesar de tudo não fiquei arrependido de ter transmitido aos meus ouvintas a verdade.
Com o meu Blogue continuarei a ser livre num País que penso ser Democrático, ninguém me pressionará porque eu não permitirei, continuarei a escrever o que penso, criticarei construtivamente seja quem for, mesmo aquele que você está a pensar, se necessário for!
Sou sempre o primeiro responsável pelo que escrevo no meu Blogue, sujeitando-me, se o entenderem, a responder pelos meus escritos.
siripipi-alentejano

Anónimo disse...

Contingências ricardianas …

O aquém está aqui,
Nesta visão estreita.

E o além é possível?
É.
Desde que á “economia”,
…não se (nos) submeta !

Vê...
Se uma vaca, uma azinheira,
Ou uma águia faminta,
Implode mais, ou sessenta mil,
Serás tu Ignorância,
Para uns poucos; menos vil ?

(? Removida pelo comentador?)

Hã ??? Ah claro…claro que há florinhas, céu azul,
Anjinhos com asas, paz, lagos, ovelhinhas de capacete,
pastando na cidade, ou na imensidão dos prados verdes,
que ao casarem terão filhos larocas-betinhos,
loiros, de olhos azuis, educados nobremente,
… e politicamente correctos, eternamente felizes!

Mas … no logro da promessas,
há o participativo !
Sim …mas de zero a um .
… e o negativo ?

O negativo, é o controlo do inconsciente;
E o abismo dos acomodados.

E que alternativa tenho ?
Deixa-nos.

E o povo ?
“O povo tem que sofrer as crises como o governo as sofre”
Mas … não é desonestidade intelectual?
Sim ... mas dum já velho advogado-politico-comediógrafo-frelimo (iano) !

…mas basta quereres, e nada te impedirá que na próxima regata , utilizares o portfólio do Eurostat do espanhol, do inglês, ou daqueles que se almofadam com o passado, ou no custo dos votos-almoços com reformados !

Olha a propósito de almoço, tenho que fazer o jantar… mas as agências de rating, pedem para que não te esqueças dos preservativos, no precipício da racionalização da república !