segunda-feira, 28 de junho de 2010

PISCINA DA FONTE NOVA...FELIZ ANIVERSÁRIO!...

Completa-se hoje o 1º aniversário da Piscina da Fonte Nova mas, infelizmente, continua encerrada e apesar do actual Executivo ter tentado explicar o que está passando, continuamos sem saber a verdade.
Antes de dizer mais alguma coisa sobre este imbróglio, não quero deixar de felicitar a Empresa Campiscinas S.A. na qualidade de proprietária, na pessoa do seu Presidente, por este primeiro aniversário!
O Complexo de Piscinas Cobertas da Fonte Nova, na opinião da maioria dos Campomaiorenses é um equipamento importantíssimo que vem colmatar uma grande lacuna, permitindo a sua utilização para fins lúdicos, de hidromassagens e fisioterapeutas, beneficiando aqueles que necessitavam de tratamentos e que tinham de se deslocar a Elvas, Arronches ou então dos serviços prestados na Piscina do Hotel de Santa Beatriz.
Qual é a verdadeira razão de continuar encerrada?
Porque é que a Câmara Municipal ( principal pagadora e financiadora da Campomayor XXI)) não exige da Empresa Privada Campiscinas S.A. uma justificação plausível?
O Povo tem o direito de saber toda a verdade, doa a quem doer, o que estará por detrás de tudo isto?
Há muitos rumores! Diz o provérbio “Quando o Rio soa, água leva”…
No último Jornal do Município era afirmado: “A equipa do anterior presidente da Câmara, liderada por João Burrica, adjudicou à MRG a construção de um complexo que vai pesar durante 20 anos no orçamento municipal (12 milhões de euros) e que haveria ainda vários aspectos técnicos que levantam dúvidas quanto à sua legalidade.”
A preocupação do actual Executivo é compreensível, o equipamento está encerrado, as despesas geram outras despesas, o capital tem que ser amortizado e a responsabilidade cabe à Câmara que foi a avalista do empréstimo contraído na C.G.D, uma vez que a Empresa Campomayor XXI que detém 49% do capital da Campiscinas S.A., não tem receitas próprias.
É bom lembrar que quase todas as Empresas Municipais existentes no País são inviáveis, tornando-se sorvedouros dos dinheiros das Autarquias, limitando-se a maioria, a albergar como Administradores (tachistas) alguns amigos da elite da Política, porventura como agradecimento de favores prestados (em Campo Maior não é esse o caso).
Tudo o que é afirmado no Jornal de Campo Maior foi por mim denunciado num post que publiquei neste Blogue em 11 de Agosto de 2009, intitulado “Divagando sobre as Piscinas Cobertas”. Convido-os a lerem este trabalho, consultem o arquivo!
No entanto quero lembrar-vos de parte do que escrevi: “Em Abril de 2007, a Câmara, deliberou por maioria, aprovar a minuta da carta de conforto para a concessão pela CGD, de um empréstimo de 4.250.000,00 € à Campiscinas S.A. para financiamento das Piscinas e infra-estruturas necessárias, a responsabilidade deste empréstimo, como é óbvio, será dividido pela MGR-Engenharia e Construções (51%) e Campomayor XXi (49%)…
…Por sua vez a Campiscinas S.A., adjudicou pelo valor de 3.450.000 €, à MRG, a execução daquele empreendimento sem qualquer tipo de concurso!… Qual a contrapartida que esta Firma teve neste negócio?... Terá capitalizado lucros no orçamento da obra, dado a mesma ser unicamente verificado pela adjudicatária de que a MRG é sócia maioritária?... Como diz o Povo “Fica tudo em casa”
Com
todos estes episódios, resta-me concluir que este complexo não é da Câmara Municipal, a verdade é que o nosso Município, nos próximos 20 anos é quem vai pagar a obra, os futuros Executivos vão ficar obrigados ao seu cumprimento. A exploração, manutenção e gestão das Piscinas caberá à Campiscinas S.A., a Câmara limitar-se-á a cobrir os custos suportados (juros e amortizações) do capital do empréstimo.
Esta é uma triste história que nos foi legada. Que mais nos irá a acontecer! Será que teremos que nos socorrer de algumas forças do além.
Apesar de tudo reforço os meus votos de felicidades por este ano de vida e a quem auguro um futuro assaz risonho.
Campo Maior, 28 de Junho de 2010
Siripipi-alentejano

6 comentários:

Zé de Melro disse...

A utilização por privados(ou turmas) não acrescentaria custos.

De facto não se percebe!

Garcia disse...

o rsponsavel desta trapalhada toda, avia de ser julgado no tribunal, mas em portugal ninguem é responsável de nada, por esse motivo é que estamos na miséria um abraço

Dr. Estranho Amor disse...

Bons olhos o leiam, Eminência. O seu prolongado e ruidoso silêncio já me fazia pensar se não teria sido alvo de uma “vendetta” da “família” socialista, em virtude da sua lendária demissão antes de poder ser demissionário (?), e que poderia estar no fundo da barragem do Caia servindo de pasto para os peixes ou até que estaria refugiado numa remota aldeia tibetana, com falsa identidade e ao abrigo de um qualquer programa de protecção de testemunhas. Felizmente não é assim e saúdo o seu reaparecimento blogosferiano.

Em relação ao já incontornável tema das piscinas, e apesar das informações contidas no “insuspeito” Jornal de Campo Maior, continuo a pensar que existe uma clara falta de transparência sobre o assunto. Falta, por exemplo, saber quem detém o capital social da “tenebrosa” MRG Construções, quem a representa, quem é o seu testa de ferro em Campo Maior. Sabendo isto, creio que as coisas poderiam ficar meridianamente claras.

Jack The Ripper disse...

Saudo este novo regresso.

Também eu pensava que o lápis azul teria actuado sobre o seu blog. Parece que não é assim e volta com o tema das piscinas

Anónimo disse...

Siripipi
Então o que te fizeram?
Tens tido o bico fechado! Estou admirado com a tua pouca actividade! Estás desmoralizado?
Não te deixes vencer. Antes partir que trocer. Ouvi dizer que agora és amigo do asno?
Vê lá como as coisas são: -Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades....

Anónimo disse...

Depois de tanto tempo vir com um tema já esgotado piscinas.
Com tudo o que se tem dito não sei a onde está a trapalhada nos anteriores ou nestes agora.
Estava à espera que viesse com um tema da actualidade por exemplo a cultura que está a ser desenvolvida pela nossa vereadora. Isso sim seria muito mais interessante saber a sua opinião.
E sobre os ciganos a onde vão ser realojados já se fala em tantos sitios e os tais contentores quando chegam.
E as entradas da vila, a recuperação das casas da zona histórica, a Marina na Barragem etc.
De qualquer forma é de saudar a sua presença mas olhe não se deixe intimidar a liberdade de um homem não tem preço.