sábado, 24 de outubro de 2009

Dicas para o novo Presidente da Câmara

No passado dia 11 de Outubro os Campomaiorenses decidiram que Ricardo Pinheiro seria o próximo Presidente da Câmara e é no dia 28 que vai ser empossado. Faltam alguns dias para que se folheie mais uma página da vida do nosso Município, fica para tràs mais um Mandato e outro terá o seu início.
O surgir de uma nova equipa nos designios Municipais, é mais um rosário de esperança e de sonhos que nos envolve a todos, alguns desses sonhos irão tornar-se realidade, outros há - infelizmente - que nunca conseguem ser concretizados, todavia, a esperança que o vencedor nos incutiu manter-se-á sempre viva.
Os Eleitos nas Autarquias confrontados com dificuldades de vária ordem, contribuíram desinteressadamente para que o Poder Local frutificasse e conseguiram com denodo, esforço e muito trabalho, arrancar da letargia, do marasmo em que se encontravam antes do 25 de Abril de 1974, a maioria dos Concelhos do País.
É um trabalho sobejamente reconhecido por todos e que merece o nosso respeito e admiração.
Os Campomaiorenses esperam que a partir de 28 de Outubro, Ricardo Pinheiro e a sua equipa, imbuídos de um espírito jovem e dinâmico, possam contribuir para que Campo Maior progrida e saia do atraso a que esteve votada nos últimos doze anos.
Para o mais Jovem Autarca do País, vai ser uma aposta importantíssima, aplicar as ideias contidas no seu Programa Eleitoral, contudo, a sua inexperiência irá ser ultrapassada com trabalho, inteligência e espirito de sacrifício.
É verdade que o novo Presidente da Câmara, ao iniciar funções, vai confrontar-se com um mundo diferente do que está habituado, vai ter necessidade de rapidamente adquirir conhecimentos de gestão de recursos financeiros e humanos, de saber aplicar os fundos que irão estar ao seu dispor. Lamentavelmente as forças politicas ainda não resolveram um problema que de quatro em quatro anos surge, criar uma forma de dar formação específica aos futuros Eleitos, há muitos que chegam ao Poder sem saber o que é uma Autarquia, quais são as suas atribuições e competências.
O início de funções numa Autarquia, para mais recebendo a Câmara de uma força política contrária, obriga a que sejam tomadas algumas medidas imediatas, pois é sabido que quem deixa o Poder, possuía a sua própria estrutura com pessoas da sua confiança política e que importa rever.
O novo Presidente deve, nos primeiros dias de Mandato, para se familiarizar com esse novo Mundo, tomar algumas decisões, entre elas:
1 - Reunir com os Dirigentes (DAF e DOU) e solicitar que lhes seja transmitido qual a situação financeira do Município (Passivo a Médio/Longo e Curto Prazo);
2 - Solicitar uma relação dos investimentos em curso, situação fisica e económica, prazos de execução;
3 - Mapas actualizados dos Recursos Humanos (Quadro, Contratados e Avençados) e montante anual de Despesas com Pessoal;
4 - Relação dos Projectos de Candidaturas a Fundos Comunitários (Projectos ao Proder têm que ser apresentados até 30 de Novembro), qual a sua evolução e situação de aprovação;
5 - Promover uma reunião plenária com todos os trabalhadores Municipais e explicar-lhes a sua linha de acção e os resultados pretendidos;
6 - Nomear os Vereadores a tempo inteiro e distribuir-lhes os Pelouros. Nomear, se assim o entender, um Adjunto e o Pessoal do Gabinete para lhe dar apoio;
7 - Iniciar de imediato, após levantamento das necessidades, a elaboração das grandes Opções do Plano e Orçamento para 2010;
8 - Reunir com os Presidentes das Juntas de Freguesia e visitar o Concelho e apresentar cumprimentos aos Organismos de âmbito Regional que mais directamente trabalham com o Município;
9 - Proceder à nomeação do novo Conselho de Administração da Empresqa Municipal Campomayor XXI;
10 - Proceder à elaboração da nova Tabela de Taxas e Licenças que tem que estar aprovada até 31 de Dezembro.
Muito mais se poderia acrescentar, hoje fico por aqui, julgo que é uma ajuda que o Novo Presidente poderá considerar.
Campo Maior, 24 de Outubro de 2009
siripipi-alentejano
 

5 comentários:

Anónimo disse...

Fui e sou um entusiasta de ter na câmara uma pessoa jovem sem ligações anteriores à política. No entanto, quando a lista foi constituida pensei que os elementos que acompanhariam o Ricardo teriam mais experiência de modo a compensar a natural falta de experiência do candidato.

Tal não aconteceu, e se em relação à Isabel ainda se reconhece alguma experência de gestão, nomeadamente na EPRAL, no que diz respeito ao Sérgio o vazio é total.

Não sei que pelouros ocuparão, mas penso que se a Isabel Raminhas até pode encaixar na cultura o Sérgio Bicho não encaixa em lado nenhum.

O Sérgio Bicho está desenquadrado da função que vai exercer, no entanto, a sua enorme vaidade ainda lhe permitirá dizer que ele é que o conselheiro do "míudo".

E claro, nos contribuintes, lá teremos que carregar com o "morto".

roy disse...

estou de acorado com o comentario anterior sobre o Sergio Bicho, talvez seja por isso que vamos ter dois acessores cois que quanto a mim não tem cabimento mas talvez seja esse mesmo o problema o Sergio, esses dois ordenados podiam ser reduzidos a um , a escolha do terceiro não foi muito bem pensada mas vamos dar o beneficio da duvida e aguardar

Camponês disse...

Olá Sr. Siripipi

já tinha lido o seu poste e não tinha reparado que tinha o link para o Campo Maior na Internet.
Visto que o antigo blogue teve um "acidente" de percurso, agradecia que alterasse o link para:

www.campomaiornanet.blogspot.com

Agradecido.

roy disse...

SR. siripipi então como vai ser isto com a assembleia do outro lado??? creio que não vai ser muito facil, e como vai ser o nosso papel no meio de tudo isto?? espero uma orientação sua para ver se consigo perceber alguma coisa de algo tão confuso.

Anónimo disse...

Pelas dicas que aqui deixa, parece-me que o Siripipi deveria ser o adjunto certo para o novo presidente ou pelo menos um conselheiro ao qual o presidente possa recorrer. Fazem falta pessoas experientes, pois a câmara está cheia de "ratos" sabidos que num instante tramam o Ricardo e companhia.